quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Mercado da Espiritualidade - É certo cobrar?

Vejo hoje uma grande quantidade de anúncios em postes, paredes e na internet também de supostos pais-de-santo ou milagreiros com contato com os Espíritos que cobram pelos trabalhos que realizam.

Minha opinião sobre isso é a mesma da que consta no evangelho: Daí de graça o que de graça recebeste.

Muitos se arvoram da desculpa de que estão doando seu tempo precioso para prática da caridade e que então podem cobrar pelo mesmo. Bom, temos que ver uma situação aí:


segunda-feira, 20 de outubro de 2014

O caminho da mediunidade - Alguns passos podem auxiliar.

Muitos buscam o caminho da mediunidade, porém é necessário saber que não é uma jornada fácil, requer muito desenvolvimento e preparo, para que não haja desistência. A princípio, por falta de entendimento mesmo, creditando uma alcunha de CHATA ou SÉRIAS DEMAIS às questões espirituais e religiosas. Lembrando sempre o celebre pensamento de Pierre Teilhard de Chardin:

"Não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual.
Somos seres espirituais tendo uma experiência humana".

Então, quando temos uma manifestação mediúnica quase sempre estamos despreparados para a mesma, não sabemos nada sobre o que nos está acontecendo, muitos chegam a pensar que estão acometidos de algum problema psicológico ou psiquiátrico. O Dr. Inácio Ferreira já dizia que os hospícios estão cheios de médiuns em desequilíbrio. Imagine se antes da manifestação já tivéssemos uma base espiritual formada, seria mais fácil compreender o que estaria ocorrendo conosco.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Interferência Mediúnica

Primeiramente eu recomendo este vídeo: O Médium consciente interfere nas comunicações dos guias de Umbanda? - Feito pelo sacerdote umbandista Géro Maita, dirigente do CEU Esperança e também apresentador do programa Umbanda do Bem na Rádio Toques de Aruanda.

A interferência mediúnica existe com toda certeza e é um dos graves problemas dos dias atuais na senda espiritualista, principalmente na Umbanda, visto que essa por sua característica natal dá consultas para pessoas que se encontram em estado de necessidade ou enfraquecidas.

sábado, 27 de setembro de 2014

27 de Setembro - Celebrando os Erês, Ibejis e a Linha das Crianças.

Dia 27 de Setembro é dia que se celebra Cosme e Damião, na cultura umbandista o mesmo é sincretizado com os orixás gêmeos conhecidos por Ibeji, que por serem crianças também são associados à linha dos Erês.

A Linha das Crianças na Umbanda é uma das mais tradicionais, eles simbolizam a inocência, o começo de tudo, o dom da simplicidade mediante a ingenuidade. Não há mal dentro do coração de um erê. Muitos consideram que os espíritos-guias que trabalham sobre o arquétipo do erê são crianças desencarnadas, porém não é bem assim. Na tríplice apresentação da Umbanda as crianças representam a infância, os caboclos a maturidade e os pretos-velhos a sabedoria da idade. Esses espíritos infantis, em sua grande maioria, nunca experimentaram uma vivência humana, ou seja, nunca encarnaram, são espíritos encantados e naturais de um plano paralelo ao nosso, mas totalmente ligado a nossa existência. Se um dia eles serão submetidos à experiência humana só Deus e os Orixás podem saber.

A linha da criança ainda é associada à cura através do sincretismo dos gêmeos Cosme e Damião, que eram considerados médicos. Eles curavam através de seus conhecimentos e também de oração, e são considerados mártires do cristianismo. Foram decapitados em um dia 27 de setembro. A associação com Ibeji é imediata, pois são irmãos gêmeos da tradição Yorubá que representavam a dualidade e começo de tudo. Seja qual for a forma como você crê, esse é um dia de celebrar. Acenda sua vela rosa e azul, deixe um prato de doce, faça os saquinhos de doces para entregar pras crianças, ore para essas entidades, mas acima de tudo internalize e vivencie o que elas simbolizam a inocência, a ingenuidade e o início das coisas.

Saravá a todos os Erês! Salve a Ibejada!

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

É muita demanda!

Será? Nem tudo é demanda, eu até arrisco a dizer que quase nada é demanda, nós é que nos autodemandamos, o que pode ser também chamado de auto-obsessão. Procuramos ajuda em todos os lugares, mas nem todo lugar está lá para nos ajudar. Podemos nos deparar com pais e mães de santo despreparados ou até mesmo mal-intencionados que exploram a fragilidade do consulente que vai atrás de uma consulta com um guia de Umbanda.

Veja bem, raramente um guia irá dizer que você está demandado, até porque não tem fundamento algum em criar preocupação para você. Ele irá, sim, mostrar os seus acertos e erros, e onde você poderá focar para corrigir algo, pois uma demanda só é capaz de atingir seu alvo se esse estiver com a guarda baixa, ou no popular: Tá devendo! 

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Por que não se ouvem os conselhos?

Nessa vida de terreiro se vê de tudo, desde casos clássicos de obsessão espiritual até muitas vezes afetações de adolescentes ou pessoas mais solitárias procurando o par ideal, como se a Umbanda fosse um balcão de informação ou cadastro de currículos amorosos. Infelizmente isso é devido à inúmera propaganda negativa causada pelos descontentes com as regras morais tão bem expostas no evangelho de Cristo e em outras obras de igual teor, seja de que origem for, como os tais pais e mães de poste.

Quando você vai até um atendimento sério espiritual, ouça atentamente tudo o que o guia tem a falar, depois raciocine sobre isso e absorva os ensinamentos. Se tiver que mudar algumas atitudes, mude! É isso que está causando o sofrimento ou descontentamento na sua vida.

O plano material é um local onde aprendemos muito, estamos aqui simplesmente pelo aprendizado, pela experiência, pela dificuldade em passar por certas situações. Se o plano espiritual nos deu uma ferramenta tão fascinante como essa que é a conversa com guias espirituais, que conseguem enxergar um panorama mais abrangente é porque devemos aproveitar para o nosso aprimoramento.

Então quando um guia disser faça algo e isso passar pela sua razão e seu discernimento, então faça mesmo. Não espere que o guia faça algo por você se nem você mesmo está fazendo algo por você.